O Governo da Bahia recebeu, nesta segunda-feira (23), a autorização para licitar as obras do terminal de passageiros do novo aeroporto de Vitória de Conquista. Pouco antes da confirmação da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC), o governador antecipou a informação, garantindo que a resposta positiva viabilizaria o Estado lançar a licitação no início do mês de setembro

Disse Rui em visita a Conquista: “Uma equipe técnica do Governo do Estado participa de reunião hoje à tarde, em Brasília, para tratar da aprovação dos projetos para a licitação da obra. A previsão de conclusão é no final de 2017”.

A concorrência será publicada no Diário Oficial do Estado, sob responsabilidade da Secretaria de Infraestrutura da Bahia. À pasta, a SAC oficializou sua resposta positiva para a concorrência pública. A documentação apresentada ao diretor de Terminais e Aeroportos, Denisson de Oliveira, retorna ainda hoje a Bahia. O diretor estadual de aeroportos representou o governo baiano durante a reunião na capital federal.

A verba destinada para a construção do terminal é de R$45 milhões, que também vai contemplar a aquisição e instalação dos equipamentos de auxílio à navegação, iluminação de via de contorno, mobiliários e equipamentos da Seção Contra Incêndio, iluminação do pátio de aeronaves e implantação de redes de telecomunicações do novo aeroporto. O terminal terá área construída de 3.500m² e será composto de saguão, check-in, área de embarque e desembarque, raio x, balcões de venda, reservas e informações.

O novo aeroporto de Conquista tem uma pista de pouso e decolagem com 2.100 metros de comprimento e 45 metros de largura, pátio para aeronaves, taxiway, rampa de equipamentos, subestação elétrica, balizamento noturno, acessos viários internos e seção contra incêndio.

As bases do marketing moderno foram todas construídas baseadas nas ações necessárias à venda dos produtos. Porém, com a evolução e a globalização da economia, cada vez mais os serviços começaram a ter uma elevada participação no PIB das nações de uma maneira geral, só no Brasil os serviços respondem por, aproximadamente, 70% do PIB.

Leia Mais